Projeto: A Educação Superior no Brasil (2000-2006): Uma Análise Interdisciplinar das Políticas para o Desenvolvimento do Campo Brasileiro

Coordenador: Mônica Castagna Molina

Resumo: O projeto tem como propósito realizar estudos e pesquisas sobre os programas e as políticas públicas desenvolvidas pelas universidades públicas e direcionados aos grupos sociais rurais. A intenção é consolidar a pesquisa em Educação do Campo a partir de dados do INEP e dos Programas de Pós-Graduação proponentes, e, desta forma, contribuir para a formulação de políticas públicas voltadas para a promoção do desenvolvimento sustentável do campo.  

Educação Superior e grupos sociais rurais 

Fazer uma radiografia nacional da Educação Superior voltada para grupos sociais rurais, contribuindo para formulação de políticas públicas de promoção do desenvolvimento sustentável no campo, é a proposta do projeto de pesquisa "A educação superior no Brasil (2000-2006): uma análise interdisciplinar das políticas para o desenvolvimento do campo brasileiro", desenvolvido em rede por três Instituições Federais de Educação Superior (IFES): UnB, UFRN e UFS.

Na opinião da pesquisadora Helana Freitas, da UnB, "a Educação do Campo participa do debate sobre desenvolvimento, assumindo uma visão de totalidade, em contraposição à visão setorial e excludente que ainda predomina em nosso país. Reforça a idéia de que é necessário e possível fazer do campo uma opção de vida".

De acordo com esta pesquisadora, além da média de escolaridade no campo não ultrapassar quatro anos, ainda sofre preconceito pelo fato da sociedade ter uma visão predominante de que o moderno e o mais avançado é sempre o urbano, e que a tendência de progresso de uma localidade se mede pela diminuição de sua população rural.

O objetivo do projeto é, a partir da base de dados do INEP, analisar a oferta dos cursos superiores pelas instituições de ensino federais e estaduais e mapear os programas de educação superior promovidas pelos ministérios para os sujeitos do campo. Também identificar os impactos desencadeados nas comunidades rurais por esses programas e os impactos nas universidades.

Uma das ações analisadas é o Programa de Apoio à Formação Superior em Licenciatura em Educação do Campo (Procampo), desenvolvido pela Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (SECAD), cujo objetivo é apoiar a implementação de cursos regulares de licenciatura em Educação do Campo nas Instituições Públicas de Ensino Superior de todo o país. O programa já conta com a participação de quatro universidades desenvolvendo projetos-pilotos: UFS, UFMG, UFBA e UNB.

O grupo está sendo ampliado com a participação de mais quatro universidades que desenvolvem cursos voltados à Educação no Campo e que serão acompanhados por mestrandos e doutorandos visando incentivar a produção de dissertações e teses  cujo objeto de análise sejam as experiências  e os resultados obtidos pelos cursos de educação superior ofertados  aos grupos sociais rurais.