Enem 12 de Janeiro de 2006

Ingresso na Educação Superior foi o principal motivo da participação no Enem 2005

Ingresso na Educação Superior foi o principal motivo da participação no Enem 2005

Os dados coletados por meio dos questionários socioeconômicos, preenchidos pelos participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), demonstraram que a razão mais freqüente para a participação no exame foi entrar na faculdade e/ou conseguir pontos para o vestibular (67,05%). Registrou-se, portanto, um expressivo aumento em relação a 2004, quando o percentual de candidatos que indicaram esse motivo foi de 42,73% e, provavelmente, o crescimento ocorreu em função do Programa Universidade para Todos do Ministério da Educação, o ProUni.

Em 2004, o principal motivo foi o interesse em testar os conhecimentos e a capacidade de raciocínio (44,68%). Entretanto, em 2005, esse foi o objetivo de apenas 21,41% dos participantes do Enem. Além disso, menos de 12% fizeram a última edição do exame visando conseguir um bom emprego ou para saberem se estão preparados para o futuro profissional. Veja Gráfico abaixo.

Distribuição dos participantes segundo objetivo de sua participação no Enem 2005

Mais de 60% dos participantes possuem renda familiar entre 1 a 5 salários mínimos

Outra análise, produzida a partir dos questionários coletados, revela que a renda familiar da maioria dos participantes situa-se entre 2 a 5 salários mínimos (34,66%), seguida da faixa de 1 a 2 salários mínimos (33,56%). Aqueles que informaram não ter nenhuma renda familiar são 1,43% e estão na faixa de até 1 salário mínimo 13,54%. Acima de 10 salários mínimos, encontram-se 6% dos casos, sendo que 0,43% tem renda superior a 50 salários.

Por intermédio desses números foi possível ainda constatar que, no ENEM 2005, os participantes com renda familiar de até 2 salários mínimos apresentaram os piores desempenhos tanto na prova objetiva quanto na redação. Os que possuem renda familiar acima de 10 salários mínimos obtiveram melhores resultados.

Distribuição dos participantes, segundo a renda familiar, por faixa de desempenho

 

Mulheres, brancos, solteiros e trabalhadores foram maioria

Os questionários socioeconômicos coletados também revelaram que a maioria dos participantes do Enem 2005 foi do sexo feminino (62,69%). Menos da metade (44,24%) dos presentes estavam na faixa de idade regular do Ensino Médio (até 18 anos), sendo que 14,24% tem idade igual ou superior a 26 anos. Quanto à cor, 45,61% se declararam como brancos, 38,26% como pardos, 11,91% como negros, 3,37% como amarelos, e apenas 0,86% como indígenas. Com relação ao estado civil, a grande maioria (87,03%) continua sendo de solteiros, entretanto, o percentual de casados aumentou em relação ao ano anterior: 11,23% contra 5,19%, respectivamente.

A maioria (52,34%) dos participantes já exerceu atividade remunerada por, pelo menos, um ano, durante o Ensino Médio. Entre estes, as finalidades mais indicadas para trabalharem foram: ajudarem os pais nas despesas com a casa e sustentarem a família (51,16%) e serem independentes (29,88%). Apenas 13,52% indicaram que o motivo foi adquirir experiência. Contudo, é importante destacar que a maior parte desses candidatos (64,60%) indicou que trabalhar e estudar simultaneamente durante o Ensino Médio foi positivo no sentido de possibilitar crescimento pessoal. Veja gráfico abaixo.

Distribuição dos participantes segundo a avaliação de ter estudado e trabalhado simultaneamente durante o Ensino Médio

Assessoria de Imprensa do Inep: (61) 410-8023 / 8037 / 9563