Enem 27 de Setembro de 2019

Inep avança no uso de tecnologias que garantem a segurança e o sigilo no exame

A cada ano, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) investe em avanços em tecnologia e segurança para garantir que todas as etapas de realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) sejam bem-sucedidas. A implantação de novos processos e ferramentas tecnológicas facilita a integração entre todos os parceiros institucionais. A operação envolve desde a elaboração dos itens na sala segura até a aplicação das provas em mais de 10 mil locais de exame para 5,1 milhões de pessoas inscritas.

O Inep estabeleceu no edital deste ano que, se o celular emitir algum som durante a realização das provas, mesmo que esteja dentro da embalagem lacrada, o participante será eliminado. A medida foi uma sugestão da Polícia Federal, uma das instituições parceiras no planejamento e na operação do Enem. O diretor de Tecnologia e Disseminação de Informações Educacionais do Inep, Camilo Mussi, lembra que, “além de desligar o aparelho, o inscrito deve desativar o alarme”.

As inovações complementam procedimentos adotados em 2017, quando as provas e os cartões de resposta passaram a ser personalizados. Nos locais de aplicação, equipamentos de detecção de ondas magnéticas vêm sendo usados com o objetivo de captar emissões de frequência de aparelhos eletrônicos. “Desde 2016, a digital de todos os participantes é colhida nos dois dias de aplicação de provas”, explica Mussi, que considera esta uma das principais medidas de segurança para evitar fraudes.

A preparação do Enem começa muito antes de o participante chegar à sala de aplicação. São impressas 10,3 milhões de provas nominais, enviadas em 54 mil malotes, que seguem para as 11.227 coordenações em todo o território nacional. Só o transporte mobiliza 31 mil pessoas.

A primeira remessa de provas sai da gráfica um mês antes do exame. A distribuição com antecedência garante que os malotes cheguem com segurança aos locais de mais difícil acesso. Com o objetivo de auxiliar os parceiros institucionais na gestão dos recursos empregados nas atividades de segurança da aplicação dos exames, o Inep desenvolveu o Sistema Integrado de Gestão de Ativos de Segurança (Sigas), que, mediante um aplicativo de celular, integra os envolvidos na logística de distribuição e segurança na realização do Enem. O instituto prepara, ainda, manuais para a operação e a capacitação presencial de operadores da ferramenta.

Além dos representantes do Inep, estão envolvidos na logística os oficiais das polícias militares, responsáveis pelos Centros Integrados de Comando e Controle estaduais; representantes do Ministério da Justiça e Segurança Pública, por meio da Secretaria de Operações Integradas; Polícia Federal; Polícia Rodoviária Federal; coordenadores estaduais dos Correios; coordenadores estaduais do consórcio aplicador, composto pela Fundação Cesgranrio e pela Fundação Getúlio Vargas (FGV); e Ministério da Defesa, por meio do Exército Brasileiro. “Nos últimos 10 anos, o Inep avançou em muitos quesitos. Todas essas entidades envolvidas, cada uma especializada em uma área, seja na distribuição, na impressão ou na logística, trouxeram mais segurança tanto para o participante quanto para o Inep”, completou o diretor do Inep.

Enem 2019 – O Inep recomenda que o participante imprima o Cartão de Confirmação da Inscrição e a Declaração de Comparecimento (caso precise de comprovante) e leve ambos para a sala do exame. Os portões do local de prova abrirão ao meio-dia (12h), horário oficial de Brasília, e serão fechados às 13h. Para realizar o exame, é necessário levar caneta esferográfica de tinta preta, fabricada com material transparente, a única permitida.

Acompanhe as notícias do Inep sobre o Enem

Saiba mais sobre o Enem

Leia o edital do Enem 2019