Educação superior 24 de Outubro de 2019

Inep sedia a Exposição Cine Brasil

Entidades ligadas a pesquisa, regulação e avaliação do ensino superior participam da Exposição Cine Brasil, realizada no auditório do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), nesta quinta-feira, 24 de outubro. A Classificação Internacional Normalizada da Educação adaptada para cursos de graduação e sequenciais de formação específica (Cine Brasil) é uma metodologia que permite o agrupamento dos cursos de graduação e sequenciais de formação específica, de acordo com o conteúdo temático e adequados à estrutura de classificação adotada internacionalmente. O conteúdo abrange o conhecimento teórico e prático abordado durante os cursos, o perfil, as competências e as habilidades esperadas para o egresso. As diretrizes estão dispostas na Portaria nº 1.715 do Ministério da Educação, publicada no Diário Oficial da União, em 3 de outubro.

O presidente do Inep, Alexandre Lopes, abriu o encontro e enfatizou a relevância da classificação de cursos para as pesquisas estatísticas. “Assim que cheguei ao Inep, tive a oportunidade de saber mais sobre a portaria que regula o Cine Brasil, a importância da comparação de dados, das estatísticas realizadas e o trabalho desenvolvido pelo Censo da Educação Superior, realizado com muita competência pela Diretoria de Estatísticas Educacionais”, declarou. A Cine Brasil atende a várias ações de interesse das instituições de educação superior e de seus estudantes, como o Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) e a composição das comissões de avaliação in loco, além de permitir a disseminação e a comparação das informações estatísticas do país. Ela faz parte do Cadastro Nacional de Cursos e Instituições da Educação Superior (e-MEC).

A Exposição Cine Brasil conta com a participação de representantes das Secretarias de Educação Superior (Sesu), de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres), e de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação; do Conselho Nacional de Educação (CNE); do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE); do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea); da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco); do Fórum Nacional de Pró-Reitores de Pesquisa e Pós-graduação (Foprop); da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (Conaes); da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes); do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); entre outras entidades.

Comissão Técnica – A Cine Brasil será objeto de acompanhamento da comissão presidida pelo diretor de Estatísticas Educacionais do Inep, Carlos Moreno. “A Cine Brasil é resultado do esforço das equipes técnicas do Inep, em articulação com diferentes atores que lidam com as questões da educação superior no Brasil. Na fase atual, precisamos garantir sua disseminação, sua plena utilização e instituir mecanismos para que a classificação seja permanentemente atualizada”, explica o diretor, referindo-se, também, ao trabalho realizado pelos técnicos da Diretoria de Avaliação da Educação Superior do instituto. Moreno acrescentou, ainda, que o cenário é de quase 40 mil cursos de educação superior no Brasil, com orientação da expansão da oferta. “A Cine organiza e classifica esses cursos, o que pode ser um instrumento extremamente valioso para atender às necessidades de desenvolvimento do país”.

A comissão é composta por nove membros, sendo quatro integrantes do Inep – dois da Diretoria de Estatísticas Educacionais e dois representantes da Diretoria de Avaliação da Educação Superior. No Ministério da Educação, são dois membros da Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres), um da Secretaria de Educação Superior (Sesu) e um da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec), além de um representante do Conselho Nacional de Educação (CNE).

Confira a Portaria nº 1.715, publicada em 3 de outubro de 2019