Ações internacionais 07 de Abril de 2020

Maioria dos professores brasileiros tem contrato de trabalho por tempo indeterminado

A Pesquisa Internacional sobre Ensino e Aprendizagem (Teaching and Learning International Survey ­– Talis) reúne informações sobre as condições de trabalho a partir da percepção de professores e diretores escolares. O mais recente levantamento aponta que é considerável a proporção de docentes que atuam com contratos de trabalho por tempo indeterminado. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela aplicação da Talis no país, publicou, em março deste ano, os resultados da edição de 2018.

Entre os professores dos anos finais do ensino fundamental, praticamente oito em cada dez (79%) estão empregados dessa forma. O percentual de professores brasileiros encontra-se bem próximo da média Talis (80%) e supera a proporção apresentada em outras economias latino-americanas participantes da pesquisa: no Chile, 62% dos professores nesta etapa trabalham com contratos por tempo indeterminado; no México, 72%; na Cidade Autônoma de Buenos Aires (CABA), 72%; e na Colômbia, 76%.

Imagem Gráfico Talis

Ensino médio – Nem todos os países/economias que entraram na pesquisa participaram com amostras de escolas do ensino médio. O Brasil foi uma das 11 nações que aplicaram a Talis para essa etapa da educação. Nela, a proporção de professores com contratos de trabalho por tempo indeterminado é semelhante ao medido no ensino fundamental, 78%. Essa condição de contratação varia bastante entre os países que participaram da pesquisa. Nos Emirados Árabes Unidos, o percentual é de 38%, enquanto, na Dinamarca, esse percentual ultrapassa os 90%. Não há média Talis para o cálculo do ensino médio, pois há um número reduzido de países nesse segmento do ensino.

Imagem Gráfico Talis

O portal do Inep tem uma série de materiais, em vários formatos, com resultados desta e das edições passadas da Talis. Entre os produtos da pesquisa, está a publicação de notas estatísticas, com os principais destaques brasileiros do levantamento, preparado pela equipe de estudos educacionais do Inep. Pesquisadores também podem explorar os resultados com outras bases de dados do instituto, como o Censo Escolar.

Amostra – Essa é a terceira edição da pesquisa Talis, que acontece a cada cinco anos e, nesta rodada, englobou 48 países/economias. Participaram 2.447 professores e diretores de 185 escolas dos anos finais do ensino fundamental (6º ao 9º ano) e 2.883 de 186 escolas do ensino médio, das redes pública e privada. Em março deste ano, ocorreu a publicação do segundo volume da Talis 2018. Na primeira, em junho de 2019, foi publicado o primeiro volume, com foco no conhecimento e nas habilidades envolvidas no trabalho de educadores.

Talis – O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela aplicação da Talis no Brasil, divulgou os relatórios do volume II da edição de 2018, paralelamente à Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), em março. A pesquisa foi realizada em 48 países/economias a partir de questionários, que foram preenchidos por professores e diretores. No Brasil, ocorreu a primeira edição on-line da pesquisa.

A Diretoria de Estatísticas Educacionais do Inep é a área técnica responsável pela aplicação no Brasil desde a sua primeira edição, em 2008. A pesquisa Talis tem o objetivo de conhecer as percepções dos professores e diretores de escolas da educação básica sobre o ambiente de ensino e aprendizagem. A comparação de informações atualizadas e que levam em conta o ponto de vista dos profissionais atuantes nessas etapas de ensino visa a ajudar os países na revisão e na definição de políticas educacionais cada vez mais efetivas. O Inep conta com a parceria das secretarias estaduais de educação para efetivar a aplicação da pesquisa nas escolas.

Confira outros dados da Talis 2018