Sinaes 26 de Agosto de 2005

Papel da universidade é mudar a realidade social, dizem especialistas

Dois caminhos: expandir a universidade pública ou expandir a universidade pública. Essa foi uma das conclusões do diretor de estatística e avaliação da Educação Superior do Inep, Dilvo Ristoff, dentro das discussões do Simpósio Universidade e Compromisso Social. O evento reuniu especialistas no Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep/MEC), nos dias 25 e 26 de agosto, para discutir o papel da avaliação na melhoria da qualidade da educação superior, expansão de sua oferta e incremento das responsabilidades sociais das instituições de ensino.

O professor Dilvo acentua a importância da democratização do acesso como geradora de oportunidades, lembrando que a inspiração primeira do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) é o próprio Plano Nacional de Educação (PNE). "Queremos expandir, nos aproximar das metas do PNE, mas com qualidade", afirma.

Nos dois dias de palestras e debates, os catedráticos ressaltaram a aplicabilidade do conhecimento produzido e a necessidade de projetos universitários de extensão que assumam metas de transferência desse conhecimento qualificado à sociedade. A necessidade de maiores investimentos e da combinação da política educacional a políticas de renda e emprego também esteve na pauta do encontro.

Para o professor Renato Janine Ribeiro, diretor de avaliação da Capes, o maior papel da universidade é a transformação social. "Para a sociedade a universidade se resume à mera formação de alunos, mas cabe a nós mostrarmos que ela é muito mais que isso, que é também pesquisa, extensão, mudança", diz.

Participaram dessa etapa do ciclo de simpósios, que pretende ao longo dos próximos meses discutir as dimensões da avaliação no ensino superior, representantes de organizações como a Capes (Coordenação de aperfeiçoamento de pessoal de nível superior), Anped (Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação), Andifes (Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior), Forgrad (Fórum de Pró-reitores de graduação das universidades brasileiras), Fonaprace (Fórum nacional dos pró-reitores de assuntos comunitários e estudantis), Fórum Extensão IES Públicas, Fórum Extensão IES Privadas, Fórum de Pesquisa, UFRGS, Unicamp, UFPR, UFSC, UFPR e Unb, além de MEC, Sesu e Deaes/Inep.

Para o professor Dilvo, coordenador geral do evento, a maior importância desse último simpósio foi a abertura do diálogo. "Criou-se um espaço de reflexão sobre o que todo mundo considera a alma da universidade: sua missão, sua própria razão de ser", finaliza.

Entre os próximos passos previstos estão a publicação das palestras, como um dos volumes da Coleção Simpósios do Inep, e a edição de todo o material em vídeo. A participação nas próximas discussões também será ampliada, inclusive com a presença da União Nacional dos Estudantes (UNE).

Assessoria de Comunicação do Inep