Projeto: Medidas e Políticas de Avaliação da Educação Básica

Coordenador: Tufi Machado Soares

Resumo: Os objetivos do projeto estão divididos em três dimensões: 1ª dimensão: As Estratégias de Ancoragem de Itens e Interpretação das Escalas de Proficiência do SAEB: um estudo comparativo de métodos (1997-2005); 2ª dimensão: A Composição das Turmas e as Políticas das Escolas para a Alocação de Professores; e a 3ª dimensão: Novas Tecnologias para a Análise do Funcionamento Diferencial do Item e suas Implicações Educacionais. Todos os três subprojetos utilizam bases de Avaliações estaduais (PROEB/SIMAVE-MG e, ou, Nova Escola-RJ) e bases de avaliação do INEP (ANEB e, ou, Prova Brasil).

Projeto Analisa Escalas para Avaliação do Nível de Desempenho dos Alunos

As medidas e políticas de avaliação da educação básica são o foco do projeto de pesquisa "Medidas e Políticas de Avaliação da Educação Básica" coordenado pelo Professor Tufi Machado Soares, da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Projeto este que segue três linhas de pesquisa: medidas, desenvolvimento de metodologias de avaliações e, contexto e desempenho escolar.

A primeira linha de pesquisa, as medidas, propõe modelos de análise da qualidade da educação em larga escala. Essas medidas focam nos dois primeiros anos do ensino básico e estudam o funcionamento do "diferencial do item", em que dois alunos com nível de inteligência semelhante podem responder a um mesmo item de formas diferentes. São utilizados dados do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (SAEB) e do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (PISA, sigla em inglês).

No desenvolvimento de metodologias de avaliações, segundo item de pesquisa, são verificadas as interpretações das escalas de proficiência do SAEB, por exemplo. Pretende-se, posteriormente, utilizar outras bases de dados.

A terceira linha de pesquisa é o contexto e o desempenho escolar, que analisa as desigualdades de proficiência, tanto racial quanto de gênero. Foi constatado que não existe tanta diferença no quesito cor do aluno. O desempenho do aluno pardo é semelhante ao do branco. Já a diferença no desempenho do aluno de cor preta comparado com o de cor branca é visível, mesmo com nível socioeconômico equivalente.

O objetivo é que em dois anos o estudo se desenvolva comparando métodos de equalização nas escalas de proficiência. Os exames de proficiência são destinados a comprovar o nível de conhecimento básico em diversas áreas do conhecimento.